Gastronomia, cultura, política..
Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009
Crise Económica

Uma animação sobre a crise económica feita pelo Weebl's

 

CREDIT CRUNCH

 

 

 

 



publicado por poejo às 10:08
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009
O Poeta em Lisboa

 

O Poeta em Lisboa
 
Quatro horas da tarde.
O poeta sai de casa com uma aranha nos cabelos.
Tem febre. Arde.
E a falta de cigarros faz-lhe os olhos mais belos.
 
Segue por esta, por aquela rua
sem pressa de chegar seja onde for.
Pára. Continua.
E olha a multidão, suavemente, com horror.
 
Entra no café.
Abre um livro fantástico, impossível.
Mas não lê.
Trabalha - numa música secreta, inaudível.
 
Pede um cigarro. Fuma.
Labaredas loucas saem-lhe da garganta.
Da bruma
espreita-o uma mulher nua, branca, branca.
 
Fuma mais. Outra vez.
E atira um braço decepado para a mesa.
Não pensa no fim do mês.
A noite é a sua única certeza.
 
Sai de novo para o mundo.
Fechada à chave a humanidade janta.
Livre, vagabundo
dói-lhe um sorriso nos lábios. Canta.
 
Sonâmbulo, magntfico
segue de esquina em esquina com um fantasma ao lado.
Um luar terrífico
vela o seu passo transtornado.
 
Seis da madrugada.
A luz do dia tenta apunhalá-lo de surpresa.
Defende-se à dentada
da vida proletária, aristocrática, burguesa.
 
Febre alta, violenta
e dois olhos terríveis, extraordinários, belos,
Fiel, atenta
a aranha leva-o para a cama arrastado pelos cabelos.
 
 António José Forte


publicado por poejo às 15:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009
Helena Almeida

"Tentar abrir um espaço, sair custe o que custar, é um sentimento muito forte nos meus trabalhos.
Passou a ser uma questão de condenação e de, sobrevivência. Sinto-me quase sempre no limiar onde esses dois espaços se encontram, esperam, hesitam e vibram. É uma tentação aí ficar e assistir ao meu próprio processo, vivendo um sonho com duas direcções. Mas isso é intolerável e com urgência, qualquer coisa se liberta em mim como se quisesse sair para a frente de mim própria."
Helena Almeida

 

 

Pintura Habitada, 1975

 

Estudo para um Enriquecimento Interior, 1976

 

Tela Habitada, 1976

 

 



publicado por poejo às 12:10
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

9ª Mostra de Cerâmica Con...

Santantoino me valha - Ex...

Festival Cravos de Abril ...

Hennapá - Pintura de Henn...

Passeio da ART - Patrimón...

Rabiscuits 2011 - Bienal ...

Arraial do 25 de Abril 20...

E os Direitos do Homem?

VIII FESTIVAL GASTRONÓMIC...

INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO ...

arquivos

Julho 2012

Junho 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Outubro 2011

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

links
Visitas

Visitas
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds